Untitled
esquerda


Leia a Última Edição!

II Série Volume 33 Número 9
Setembro 2020

E-ALERT:

menu esquerda
 
   
 
 
 
 


  1- Factores de recorrência das lesões intraepiteliais do colo do útero.

2- Duodenoscopia e colangiopancreatografia retrógrada endoscópica (cpre) no diagnóstico da patologia biliar e pancreática. Experiência dos primeiros 150 exames.

3- Mefedrona, a Nova Droga de Abuso: Farmacocinética, Farmacodinâmica e Implicações Clínicas e Forenses

4- História natural da dilatação pielocalicial pré-natal.

5- Drogas antidepressivas.

6- Erisipela.

7- Abordagem terapêutica das úlceras de pressão--intervenções baseadas na evidência.

8- Traumatismo Crânio-Encefálico: Abordagem Integrada

9- Ulceras genitais causadas por infecções sexualmente transmissíveis: actualização do diagnóstico e terapêuticas, e a sua importância na pandemia do VIH.

10- Abordagem actual da gota.

11- Vasculite livedóide.

12- Cisto de Tarlov: definição, etiopatogenia, propedêutica e linhas de tratamento.

13- Tratamento antibiótico da cistite não complicada em mulheres não grávidas até à menopausa.

14- Urolitíase e cólica renal. Perspectiva terapêutica em Urologia.

15- Inversão uterina.

16- Princípios básicos em cirurgia: fios de sutura.

17- Rabdomiólise.

18- Distócia de ombros: uma emergência obstétrica.

19- Distócia de ombros: uma emergência obstétrica.

20- Demência frontotemporal: que entidade?

 
   

Terapia Assistida com Animais nos Cuidados Paliativos



Existem casos em que os objetivos tradicionais dos cuidados médicos não apresentam soluções realistas para curar os doentes que enfrentam doenças devastadoras; devendo outros métodos ser aplicados. Os autores apresentam o caso clínico de uma mulher de 76 anos admitida numa unidade de Cuidados Paliativos devido a um adenocarcinoma do cólon estadio IV, e descrevem o papel que um Yorkshire terrier, de seis anos, teve no controlo sintomático desta doente. A terapia assistida por animais pode ser de grande utilidade quando usada com um objetivo terapêutico em cuidados paliativos, ajudando a reduzir a dor e o sofrimento dos doentes, aumentando a qualidade de vida. A terapêutica assistida por animais pode ser de grande utilidade nos cuidados paliativos, contribuindo para a gestão da dor dos doentes, alívio do sofrimento e melhoria da qualidade de vida.

Leia o artigo completo aqui (apenas em inglês).