Untitled
esquerda


Leia a Última Edição!

II Série Volume 34 Número 1
Janeiro 2021

E-ALERT:

menu esquerda
 
   
 
 
 
 


  1- Factores de recorrência das lesões intraepiteliais do colo do útero.

2- Duodenoscopia e colangiopancreatografia retrógrada endoscópica (cpre) no diagnóstico da patologia biliar e pancreática. Experiência dos primeiros 150 exames.

3- Mefedrona, a Nova Droga de Abuso: Farmacocinética, Farmacodinâmica e Implicações Clínicas e Forenses

4- História natural da dilatação pielocalicial pré-natal.

5- Drogas antidepressivas.

6- Erisipela.

7- Abordagem terapêutica das úlceras de pressão--intervenções baseadas na evidência.

8- Traumatismo Crânio-Encefálico: Abordagem Integrada

9- Ulceras genitais causadas por infecções sexualmente transmissíveis: actualização do diagnóstico e terapêuticas, e a sua importância na pandemia do VIH.

10- Abordagem actual da gota.

11- Vasculite livedóide.

12- Cisto de Tarlov: definição, etiopatogenia, propedêutica e linhas de tratamento.

13- Tratamento antibiótico da cistite não complicada em mulheres não grávidas até à menopausa.

14- Urolitíase e cólica renal. Perspectiva terapêutica em Urologia.

15- Inversão uterina.

16- Princípios básicos em cirurgia: fios de sutura.

17- Rabdomiólise.

18- Espondilodiscite: que etiologia?

19- Abordagem do síndrome vertiginoso.

20- Demência frontotemporal: que entidade?

 
   

Acompanhamento Médico de Doentes com Esclerose Múltipla Durante a Pandemia COVID-19: Experiência de um Centro Português



The emergence of the COVID-19 pandemic presented a unique challenge to neurologists, patients and healthcare institutions. Shortly after the introduction of the first lockdown policies, multiple sclerosis (MS) experts worked around the clock in order to reorganize MS outpatient and inpatient care and to provide consensus-based evidence for managing MS during the COVID-19 pandemic.
We conducted an online survey via Google forms to evaluate clinical management disruption and physical and social effects of the COVID-19 pandemic in MS patients followed at the Neurology Unit of Cascais Hospital. After approval from the Hospital’s ethics committee, an online link was sent to the mailing list of our MS patients. A total of 62 answers was obtained (with a response rate of 61.4%), from the 10th August to the 7th September 2020. Our sample was comprised of 66.1% female and 33.9% male participants, with a mean age of 44 years. Most participants had relapsing/remitting MS (16.1%), followed by primary and secondary progressive MS (16.1%) and clinically isolated syndromes (3.2%).

Leia aqui a Carta ao Editor (texto integral apenas em inglês).